Paris on Saturdays

No sábado passado, em Paris, foi dia de compras nas galerias Lafayette e, dia de ir ao Centre Pompidou , ver Marcel Duchamp. Podem ver a exposição até dia 5 de Janeiro! Divirtam-se 🙂

Last Saturday, in Paris, was a day of shopping at the Galeries Lafayette and also day to go to the Centre Pompidou, see Marcel Duchamp.  You can see the exhibition until January 5th. Have fun 🙂

image4

image6

image3

unnamed

image1(1)

image1

LOOK:

Capa, camisola, saia, botas e chapéu : ZARA (all from ZARA)

Mini Clutch- Givenchy

Oculos/ Glasses – Louis Vuitton

Das trincheiras a Paris!

Quando era miúda, brincava horas e horas sozinha, geralmente no meu quarto. Sempre fui muito feminina, muito fantasiosa e apaixonada por barbies! Aos treze anos ainda fingia ser a Rose do “Titanic “! Vestia roupas e inventava personagens. Via muitos filmes e depois, sonhava que era a princesa ou a super heroína do filme em questão! Tudo isto para dizer que nunca ( infelizmente) fui a pró do skate, patins e nem mesmo bicicleta! Ora, como posso ser uma parisiense se não andar de bicicleta na perfeição? Não saber andar de saltos já é mau, não saber andar de bicicleta é péssimo! Mas eu ando, só não fui capaz de me aventurar pelas ruas movimentadas da cidade-luz. Fiquei pela Madeleine. Vesti o meu trench coat da Burberry, um must-have para todas as mulheres . É caro, tem de ser visto como um investimento. Dura anos. Pode passar de mãe, para filhos. Uma herança. É uma gabardine que foi criada para os oficiais britânicos. Como o nome indica, casaco de trincheira. Em 1895 foi usada na guerra boer. O famoso modelo foi desenvolvido em 1914, por soldados na 1 Grande Guerra Mundial. Mais de cem anos depois, este casaco é um ícone da moda, é intemporal. Há quem ache a marca muito ” clássica “, usada pelos ” velho”. Eu não concordo nada. A marca tem várias linhas, tem vindo a rejuvenescer e prova disso é a linha Prorsum e a London! Não fosse a minha querida Cara Delevigne a cara desta nova campanha. Para quem não tem ” cash” para fazer este pequeno-grande investimento, a Zara tem modelos parecidos, giros e a preços muito acessíveis. Mas sonhar não custa, podem sempre ter colocar na vossa wish list, uma gabardine da heritage collection. Se é para perder a cabeça, acreditem que vai poder usar este casaco até irem para o caixão!
Vou usá-lo para ir para a guerra. Literalmente! Com o Inverno à porta…
O resto da roupa, é Zara 🙂

IMG_6410.JPG

IMG_6473.JPG

IMG_6469.JPG

IMG_6472.JPG

IMG_6471.JPG

IMG_6476.JPG

IMG_6402.JPG

Soltar a Amélie que há em mim…

Tenho uma grande paixão por Paris, gosto particularmente de ir nesta altura, porque já cheira a Natal! Tal como Audrey Hepburn disse, ir a Paris é sempre uma boa ideia. Abril/Maio permite-nos passear por Montmartre tranquilamente, visitar as típicas ruas, sentirmo-nos na pele da Amélie Poulain! Visitar a Sacré Coeur
,passear pelo jardim que nos leva ao grandioso museu do louvre, fazer um piquenique nos jardins em frente à torre Eiffel, ou deitarmo-nos a ler um livro. passear de barco pelo Sena, são algumas ideias que encaixam melhor quando já não está tanto frio. No início do outono também é convidativo. Se namorarem, se estiverem muito apaixonadas, prontas para jurar amor eterno, acho que um jantar a dois na ponte das artes é o cenário ideal! Durante o pôr do sol. Compram uma garrafa de vinho, levam dois copos, uma pizza ou algo do género, uma mantinha e voilá… Sentam-se no chão, divagam sobre o número de promessas de amor ali feitas, compram o vosso cadeado , juram amor eterno, deitam a chave ao rio, selam o momento com um beijo e está feito! Eu ainda não o fiz! Mas acho um programa muito romântico! Quantos casais ainda estarão juntos? Foi a pergunta que fiz a mim mesma enquanto passeava por lá! Será que algumas pessoas repetiram a proeza?! Dá que pensar…

Gostava de ficar em Paris um tempo. Tirar um curso, conhecer Paris para além do que um turista conhece. Amélie, era especial, encontrou uma forma única de pintar o fascínio que a cidade emana. Quero conhecer o lado pitoresco, tão bem retratado no filme ” O fabuloso destino de Amélie Poulin“. É um dos meus filmes preferidos, pela atuação minimalista da Audrey Tautou, pela fotografia, a música e, acima de tudo pela forma como nos faz descobrir Paris. Todos os que sonham , têm um pouco de “Amélie” dentro de si. Quero descobrir Paris através de Saint Germain, Quartier Latin e Montmartre. Mas conheça eu todos os lugares do mundo, vou sempre gostar de voltar a Lisboa! Não há vista mais bonita, quando se chega de avião. O filme ensina-nos que a beleza e a poesia da nossa vida, depende de nós mesmos. Somos capazes de fazer do nosso coitidiano, um filme, um livro, uma bonita pintura. É preciso sermos turistas dentro da nossa cidade, é preciso fantasiar e multiplicar o charme das coisas, através dos nossos olhos. Há filmes que me fazem querer conhecer Paris, adorar visitar esta cidade sempre que posso. Quem não viu ” Sabrina “? Vejam! É apaixonante!

IMG_6488.PNG